Orçamento familiar: conheça a sua importância e saiba como fazer!

A maioria das famílias já viveu ou vive conflitos relacionados ao dinheiro. Geralmente, eles surgem porque não há o devido controle das finanças ou porque cada um tem uma ideia diferente sobre o que deve ser feito com a renda. Planejar o orçamento familiar, em conjunto, é a melhor forma de solucionar esses problemas.

Mas você sabe o que priorizar e como controlar os recursos da família para que todos tenham seus sonhos realizados? Neste post, vamos trazer algumas dicas valiosas para te ajudar. Acompanhe!

Defina metas de curto, médio e longo prazo

Todos temos sonhos, e muitos deles são compartilhados em família. O dinheiro serve, justamente, para nos ajudar a realizar essas metas. Quando você elabora o orçamento familiar, esses objetivos têm que estar determinados, para que possam ser efetivamente alcançados.

Por isso, sente com os membros da família e definam quais são os sonhos que vocês têm em conjunto. Viajar? Comprar uma casa de veraneio? Trocar de automóvel? Pagar a faculdade dos filhos? Observe que cada projeto tem seu tempo. Organize, portanto, sonhos de curto prazo (até um ano), médio prazo (de um a cinco anos) e de longo prazo (acima de cinco anos).

Converse sobre a situação financeira

O orçamento familiar é responsabilidade de todos os membros da família. Por isso, é importante que a situação financeira seja discutida e que todos estejam comprometidos com os propósitos conjuntos. 

Faça cortes racionais de gastos

Cortar gastos é uma medida necessária para o controle do orçamento familiar. Entretanto, a redução das despesas precisa ser corretamente planejada. Esse deve ser um compromisso de todos os moradores da casa e, portanto, é preciso que haja um bom alinhamento.

Antes de promover a redução dos gastos, analise o orçamento. Hoje, há aplicativos bancários que já fazem esse registro por grupos de despesas. Se o seu banco não oferece esse serviço, é possível recorrer a aplicativos desenvolvidos especialmente para isso.

Vale até mesmo usar um caderninho, mas é fundamental ter um registro de tudo que foi gasto durante um determinado período de tempo. Esse é o tipo de controle que indica para onde vai o dinheiro da família, se há gastos supérfluos, quais são as despesas indispensáveis e onde é possível apertar as contas.

Fazer cortes racionais no orçamento é compreender bem a estrutura de gastos da família para não comprometer o que é essencial, como educação, alimentação, transporte etc. Vamos explicar, logo mais, a importância de reservar dinheiro para investi-lo.

Se o corte de gastos não for feito adequadamente, você pode ter que retirar aplicações antes do tempo, o que pode te fazer perder dinheiro.

Poupe parte do orçamento

Depois do corte de gastos, já é possível identificar quanto sobra do orçamento para fazer uma reserva financeira. Veja, do total das receitas, qual é o percentual direcionado para o essencial, se há dívidas e qual é o montante delas e o que é feito com o que resta. Parte do que sobra, você deve poupar.

Defina qual é o percentual das receitas que será reservado mensalmente e faça com que todos os membros da família se comprometam com essa reserva, evitando extrapolar os gastos. Vale frisar: as metas de cada um dependem desse compromisso.

Invista seu dinheiro

Deixar dinheiro parado é um dos maiores erros cometidos com o orçamento familiar. Mesmo se a reserva financeira for deixada na poupança, é possível que você esteja perdendo dinheiro (se a inflação for mais do que o rendimento) ou esteja deixando de aproveitar a oportunidade de fazer uma aplicação mais vantajosa. Isso porque há instrumentos financeiros tão fáceis quanto a poupança, mas que oferecem um ganho maior, como o Tesouro Direto, CDB e CDI.

Essas aplicações podem ser adotadas para realizar os sonhos de curto e médio prazo. Para os projetos de longo prazo, um dos investimentos mais recomendados é a previdência privada, que também é uma modalidade simples.

Aliás, a previdência privada tem a vantagem de ser previsível e de estimular o comprometimento com os aportes mensais, evitando que se perca o hábito de fazer a reserva financeira pensando no futuro. Em pouco tempo, você verá que o orçamento familiar estará mais equilibrado e os sonhos, mais próximos da realização.

Queremos saber, agora, como você controla o orçamento familiar? Comente e compartilhe suas dicas!