Planejamento Financeiro: 7 dicas para um planejamento financeiro pessoal

Na sociedade atual, diversos serviços de consultoria e coaching auxiliam as pessoas em como elas devem se alimentar melhor, fazer exercícios, posicionar-se no trabalho, ter melhores relacionamentos etc. A relação com o dinheiro não é diferente, e uma das ferramentas mais eficientes é o planejamento financeiro pessoal.

A grande diferença, no entanto, é que ele também pode ser feito sem a ajuda de um profissional, como se fosse um processo de autoavaliação e correção da forma como o dinheiro é utilizado.

Ele nada mais é que a criação de uma estratégia que determine como o dinheiro será investido e empregado e, com esse plano, é possível concretizar seus sonhos e ainda garantir um equilíbrio financeiro.

Ficou interessado em como criar um plano infalível para as suas finanças? Confira estas 7 dicas que separamos no post a seguir.

1. Defina objetivos em seu planejamento financeiro pessoal

Sonhar não custa nada, mas não realizar os sonhos pode ser frustrante. Assim, a primeira dica é criar objetivos que sejam possíveis de serem alcançados.

Determinar uma meta central e depois dividi-la em etapas de execução pode ser uma boa prática. Além de ajudarem no acompanhamento de seu progresso, pequenas vitórias darão ânimo para correr atrás das demais.

2. Organize suas contas pessoais

Com grandes objetivos, vêm grandes obrigações e, nesse caso, isso inclui a organização e redução dos custos pessoais.

Veja quais despesas são imprescindíveis, organize as datas de vencimento de contas e boletos e tenha o controle de tudo que precisa ser pago. Além disso, aproveite descontos para pagamentos à vista e evite o uso dos créditos rotativos.

Por fim, use a regra de não comprometer mais de 60% de seus ganhos com custos pessoais, fixos ou variáveis.

3. Elabore uma planilha de controle mensal

Uma planilha de controle mensal também pode ajudar. Nela, é possível anotar o que se recebe e o que se gasta. Com o tempo, um histórico dos recebimentos, custos e investimentos começará a dar um panorama claro para que você verifique se as finanças estão caminhando na direção dos objetivos traçados.

4. Pesquise sobre os melhores investimentos

Existem diversos tipos de investimentos, cada um com grau de risco específico, assim como aqueles mais adequados para diferentes objetivos.

Em resumo, o ideal é escolher aplicações com boa rentabilidade, baixo custo de manutenção e que estejam alinhadas com suas metas. No curto prazo, um investimento fácil de ser resgatado pode ser o mais adequado, enquanto, no longo prazo, uma previdência privada pode ser a mais indicada.

5. Aprenda a poupar dinheiro e ajuste seus hábitos

Mapear as despesas atuais permite que uma análise dos principais gastos seja feita. Nela, os elementos que pesam no orçamento podem ser revistos, e, depois, reduzidos.

Pense bem: custos com alimentação fora de casa podem ser cortados pela metade usando a opção de levar comida de casa para o trabalho e as despesas com deslocamento podem ser diminuídas se o combustível for dividido com um vizinho que vá para a mesma região da cidade todos os dias.

6. Escolha proteções para sua vida e patrimônio

Nada adianta construir seu patrimônio e não protegê-lo. Avalie e contrate seguros para seus bens conquistados, como sua casa e automóveis.

Também cuide de você. Um seguro de vida pode dar tranquilidade emocional para correr atrás de seus objetivos maiores.

7. Monitore os resultados do que foi planejado

Avalie constantemente seus resultados, seja dos recursos investidos, seja do planejamento realizado. Com metas intermediárias para os objetivos traçados, é possível ver o andamento da realização de seus sonhos e corrigir a rota, se necessário.

O planejamento financeiro pessoal pode ser um grande desafio para quem não quer abandonar antigos hábitos, como descontar frustrações do trabalho em compras no shopping ou adquirir passagens para uma viagem sem nem saber se terá dinheiro suficiente para a hospedagem e a alimentação.

Em outras palavras, atos de impulso e não planejados precisam ser abolidos do comportamento do investidor. Mas seu desenvolvimento também não para por aí, e é preciso buscar informações relevantes constantemente.

Quer ter uma fonte confiável e rica de dicas e ensinamentos para a gestão de suas finanças? Curta nossa página no Facebook e conecte-se ao nosso LinkedIn para receber nossas novidades e publicações.